<$BlogRSDUrl$>

terça-feira, setembro 30, 2003

aviso à população
está declarado o estado de sítio neste blog.
Será encerrado até nota contrária.
Para mais informações consultem a Página Oficial da Irmandade do Caos nas Meias às Riscas

Dr. Orson Wheels, P.H.D., presidente da Irmandade do Caos nas Meias às Riscas

terça-feira, setembro 16, 2003

As Novidades da semana
Desde já as desculpas por tão tardias notícias, mas temos andado muito ocupados. Numa pausazinha hoje de manhã conseguimos assentar todas as novidades da semana. Aqui vai!

O Rei Morreu, Viva o Rei
O Homem de Negro, o rei do Country e o último Cowboy americano morreu. É uma das mais sentidas notícias dos últimos tempos.
Desde já, e em jeito de homenagem, deixamos aqui uma sugestão: oiçam os "albuns das prisões" (San Quentin e/ou Folson Prison) ou os últimos três albuns, quando já estava numa fase avançada da doença, para entender o verdadeiro espírito americano. É importante! Se não conseguirem cópias ou originais façam o download apenas da faixa "the Man in Black" e sintam a beleza simples de alguém que não ignorava os outros.
Johnny Cash Morreu... Viva o Rei!

O Triunfo da Verdade?
Leni Reifstahl era uma artista a sério. Morreu segunda-feira. Como toda a gente que manipula símbolos, teve problemas e a sua fama ficou-se pelos filmes que fez para o regime nacional-socialista na Alemanha. O estigma da colaboração com o regime Nazi ficou durante todas estas décadas. O mesmo não acontece com os cineastas do regime Sovietico. Porquê? Porque com apenas dois filmes revelou o génio que a orientou toda a vida e isso incomoda muitos, mesmo aqueles que ainda conduzem "automóveis do povo".

A Festa do Bacalhau
Recebemos a visita da Ana e da Cristina, directamente de Lisboa. Vão ficar connosco nestes próximos dias.
Elas tinham bacalhau escondido nas malas. Esse bicho tão importante para a cultura portuguesa foi cozinhado para a alegria de alguns amigos aqui na sexta à noite. Foi mesmo muito bom. Foi só pena não termos um dvd do "Leão da Estrela" ou do "Pátio das Cantigas" para completarmos o cardápio da noite. Viva Portugal.

Uma Artista Portuguesa com certeza
A Ana Maria também nos veio visitar. Perdeu a Noite Portuguesa, mas guardamos algumas pataniscas e pastéis de bacalhau para ela. O livro da Ana está a fazer sucesso em Portugal. Chama-se "Personagens Para um Lugar Memorável", custa pouco (embora valioso) e É PARA COMPRAR E SER LIDO POR TODOS VOCÊS!!! Temos quase a certeza que toda a gente já ouvir falar neste título, e segundo parece já é difícil de encontrar (na FNAC está esgotado segundo parece, mas podem tentar encontrar por lá). Muita gente gosta deste livro e da Ana Maria. Nós também!
Para aguçar o apetite, mesmo correndo o risco de sermos processados pela autora ou pelo editor, aqui vai um trecho:
O Daniel é o cliente do pullover amarelo, sempre. Amarelo canário! A relação com o neto de três anos é difícil, principalmente porque o pequenito ainda não consegue discutir Camilo.
Mas o Pullover é mais grave.
O Santos nunca usaria um pullover. O Santos foi viciado em coca e eu não penso que isso seja positivo. Primeiro porque o Santos também é amigo, segundo porque me dava rebuçados biológicos.
Sempre acreditei no modelo de liberdade que ele representava, e naquela parte da cultura oriental.
Algures a meio do tempo, alguém me perguntou se isso (a liberdade e a reliogiosidade) o fazia mais feliz. Acho que ficar viciado em coca não foi uma boa resposta.

Fomos nos despedir da Ana Maria ao autocarro, sabendo que ela está agora a algumas horas de nós. É bom saber isso.

Trash Mental
A Ana, a Cristina e nós fomos ver a exposição para a qual fizemos os posters e convites no outro dia. Chama-se LitterArty e é uma das melhores exposições que já vimos até hoje.
Imaginem o cenário: durante duas semanas um workshop com crianças produziu obras de arte (é esse o nome) com lixo recolhido por essas mesmas crianças e pelos orientadores. Não dá para descrever o resultado aqui, mas durante uma conversa de pub ficamos com a ideia que iriamos divulgar as peças mais tarde no site da Charnwood Arts. Quando tivermos novidades sobre isso divulgamos por aqui. Podem ficar com um vislumbre muito pequeno com esta nossa foto que deixamos no trekearth.
Represálias da Festa do Bacalhau
Uma convidada do nosso jantar português, a Amerjit passou quase 24 horas a cozinhar para nós, e sobretudo para a Cristina, que nos confessou que gosta muito de cozinha indiana. Foi mesmo muito bom!

Vamos para Edinburgo!
A cidade mais europeia do UK vai receber a nossa visita. Nós os quatro vamos visitar a Virginie e a Emilie a Edinburgo amanhã e voltamos para a semana. Damos notícias depois.

terça-feira, setembro 09, 2003

Stop!
Finalmente tiramos tudo das nossas malas e fomos buscar as nossas roupas de inverno, que deixamos cá em junho, a casa do little grandad. Foi a primeira vez que tiramos tudo das malas desde que aqui chegamos, em Março.
Passámos o dia de Sábado a pintar o nosso quarto e já estamos instalados como deve ser.

Os Velhos Brasileiros
O Chiquinho emprestou-nos uma pequena parte da colecção de cd's Brasileiros que começou a comprar à alguns anos. Para além das velhas glórias e albuns fundamentais do "tropicalismo" (sobretudo Caetano), temos por cá edições de velhos discos guardados na gaveta à alguns anos. Algumas coisas são bastante raras (e bizarras também!). Funk brasileiro dos 60's, sons psicadélicos dos 70's, inclassificáveis (Tom Zé, por exemplo).
Tudo isto lembrou-nos que temos que começar a formar uma colecção semelhante com música portuguesa para também podermos emprestar a alguém.

sexta-feira, setembro 05, 2003

Há quem viva escondido a vida inteira
Começamos a entrevistar pessoas num lar de idosos para o nosso projecto de animação. Pelos corredores da Shelthorpe House esperamos encontrar alguém que nos conte uma história. A história, que depois de adaptada, nos permita fazer um bom guião.
Parecia uma tarefa relativamente simples, mas não temos arrancado nada. Apenas vislumbramos vidas simples que falam vagamente de um passado normal, mesmo durante a Guerra.
Tivemos algumas surpresas. Descobrimos o Syd, um velhinho castiço, e umas senhoras que fizeram a tropa durante a II Guerra e que pareciam ter muitas coisas para contar mas estavam inibidas.
Voltamos lá para a semana.

cine mania
Aproveitamos para pedir emprestado um projector de cinema. Durante toda a semana fizemos sessões especiais de cinema com alguns amigos. Projectamos filmes na parede do nosso quarto. Passamos o Donnie Darko e o Amores Perros. Depois discutimos tudo como se estivessemos num cine clube a sério.
Antes do projector ainda vimos o Gato Preto, Gato Branco e o Baraka no quarto do Ian. Ficou decidido que passariamos o Baraka numa projecção durante a festa de Sábado passado.

Party Cinema
Ainda aproveitando o projector fizemos uma festa ontem à noite e projectamos o filme na parede da nossa casa. Foi giro mas estava muito frio... Tivemos que ir para dentro cedo porque os vizinhos queixaram-se do som que o sound system profissional do Everton largava.

DO NOT ADJUST YOUR MIND, IT IS REALITY THAT IS MALFUNCTIONING
Ainda sobre o Donnie Darko, aqui fica uma coisa antiga sobre o filme, que estava num antigo blog:
The Darko Side of Reality:
Apos o visionamento repetido de Donnie Darko chego à conclusao que as algumas criticas que li durante a estreia por ca nao têm o minimo fundamento:
o filme tem uma historia bastante bem contada, com pés e cabeça, onde todas as imagens sao propositadas (houve que falasse em non-sense lynchiano!).
melhor e mais linear que isto, ainda por cima sendo uma primeira obra, é impossivel. E o culto nao deve ter sido gerado pela "estranheza" imagética (tao em moda), mas sim porque é umas das mais bem contadas historias de alteraçao de consciência, pre-visualizaçao da linha do futuro e destino dos ultimos anos.
a visionar (ou revisionar quantas vezes for necessario), acompanhando com umas leituras das obras de leary, lilly e Anton Wilson por favor.


Bar Zero: Casa Cheia!
Ontem foi a despedida do David, o nosso antecessor na casa. Conhecemos também o novo grupo de espanhóis e alemães que vêm fazer o Leonardo. O sítio estava a abarrotar e a Patrícia estava a passar música.
A festa acabou na nossa casa, depois das 6 da manhã.

Chiquinho
O Geraldo tem cara de Chico. Costumamos discutir sobre cinema ou sobre o conceito de "pais irmão" quando ele aparece cá por casa.
A Solidão do Chico, que está aqui à três anos, longe do Brasil e do resto do mundo levou-o a começar a conhecer bem a música brasileira, que ele não conhecia quando era menino em Pernanbuco.
O Jovem Chico quando toca o violão fica triste e tem saudades.

Patuxa
É ingrato não termos ainda falado do Patrícia! Devemos-lhe a ela quase todos os nossos momentos de felicidade desde que chegamos de férias à um mês atrás. Devem-se lembrar das queixas constantes que largavamos por esta página. Basta fazerem um scroll mais atento e encontram salpicos de desilusão e queixume aqui em baixo.
A Patti, arriscando sarilhos com os senhorios da casa. É o nosso elo mais forte, o feijão no nosso arroz.
Patti é a irmã do outro lado do mundo, aquele lado onde existe alguém que também fala as nossas línguas, o ofícial e as outras.
Lembramo-nos de também já ter dado refugio a alguém, mas agora que estamos do lado oposto, sentimos a retribuição disso.
E em coração de irmãos cabe sempre mais um, mesmo com uma amizade muito gorda.

segunda-feira, setembro 01, 2003

Obituario parte 2
Morreu o grande actor Charles "Machine-Gun' Kelly" Bronson. Embora Ninguem concorde, CB era um bom actor. Muitos dos filmes onde actuou sao filmes curiosos e valem a pena ser vistos, mesmo aquelas copias manhosas em VHS com legendas amarelas.
Um dos grandes herois do cinema de accao que nunca (injustamente) teve o seu merito recolhecido, como, por exemplo, Clint Eastwood.
O Nobre Nómada Thesiger
Morreu um dos maiores exploradores de sempre... em memoria a um dos grandes autores dos chamados "Livros de viagens", aqui fica a chamada de atencao. Procurem num apontador por "Wilfred Thesiger" e terao a extraordinaria historia de uma das figuras do seculo passado.

terça-feira, agosto 19, 2003

Ana Maria
Com um orgulho desmedido, colocamos aqui o seguinte aviso:
jovens amiguinhos,
saiu hoje uma critica ao meu primeiro humilde livrinho...
para aqueles que nao poderem ou nao quiserem comprar a edicao de papel de hoje do dia'rio de noticias, aqui fica a ligacao directa. http://www.dn.sapo.pt/noticia/noticia.asp?CodNoticia=116758&codEdicao=790&CodAreaNoticia=13
greetings from london,

Ana Francisco (arquitecto-escritora de ego extra desenvolvido, por hoje)


Ficam tb a excertos da critica acima citada:

Livros como, por exemplo, o de Ana Francisco, autora de 25 anos que se perfila, desde já, como uma das mais interessantes revelações literárias de 2003. Em brevíssimos apontamentos, num registo de crónica ácida, ela descreve as personagens que procuram um lugar abstracto (o «lugar memorável» do título) para satisfazerem a sua necessidade de contacto humano, de ilusória posse material ou de consolo. Fruto de uma experiência de dois anos num alfarrabista, este livro é uma espécie de inventário de figuras carismáticas e tipos sociais (os Monárquicos, a Menina Carente, o Engenheiro do Porto, o Investidor), tratados com uma ironia tão corrosiva que chega a ser cruel. Mas supreendente, neste livrinho bem ilustrado, é o domínio total da língua portuguesa por parte da autora, prenúncio objectivo de mais altos voos.

segunda-feira, agosto 18, 2003

Querido Diário
São 16:36 e hoje é Domingo. Está um dia nublado, mas está calor.
A Patricia está a tocar saxofone lá em cima no quarto. Nós estamos no Jardim a escrever.
Temos comido muito gelado de baunilha. Às vezes, quando temos paciência, apanhamos amoras no nosso jardim para acompanhar o gelado.
Estamos cansados. Estivemos a ajudar os Stonehouse a reconstruir o telhado ontem à tarde. Depois fizemos um churrasco.

Temos visto muitos filmes no nosso portátil. O nosso portátil é a nossa casa, o nosso escritório e a nossa televisão.
Uma parte do nosso mundo interior está armazenado neste portátil. A sua memória é mais fiel que a nossa às vezes e por isso gostamos de guardar coisas aqui dentro.

Video Lucia
Temos visto muitos filmes. Quando não saimos à noite, fazemos uma double session a comer gelado de baunilha. Normalmente não temos surpresas. São filmes muito maus, ou só maus, ou só mediocres. Quando não queremos ter surpresas más, vemos filmes que já vimos vezes sem conta.

Sexta-Feira descobrimos um filme que não tivemos paciência de ver em Lisboa. Chama-se Lucia y El Sexo, e foi uma surpresa muito boa. Não é Extraordinário mas é Brilhante. É uma ilha com areia muito macia e um sol generoso, com um oceano de sexo à volta, onde sereias generosas nadam. Às vezes balança de forma suave, outras vezes revela pequenas imagens, que quase ofuscam o sol que ilumina o filme. A Lua aparece muitas vezes no filme. É muito forte.

Lirismos à parte, ficamos um bocado tristes quando vemos filmes espanhóis. São sempre muito bons, mesmo quando são maus.
Ficamos tristes porque em Portugal poucos são os filmes que são assim, muitas vezes porque não existe uma indústria cinematográfica como a espanhola, porque os criadores estão mais preocupados com o seu merdoso status quando saiem à noite.
Os veteranos do cinema português, sentados nos seus sofás italianos a bebericarem uns whiskeys, chafurdam nas entrevistas os egos inflamados. Os Outros, ou morreram ou são génios com fome, ou trabalham que nem animais mas têm sempre chatices. Às vezes os Outros têm todas essas qualidades ao mesmo tempo, mais as das excepções que fazem sempre a regra.

Em Portugal o "projecto" é sempre planeado. Fumam-se umas brocas para as ideias fluirem. Têm-se uns "one night stand"zitos para definir o casting. Espera-se sentado, bebendo uns gins tónicos ou alguma bebida fashion, pela mama do subsidio ou da carteira de um familiar abastado.
Mesmo quando a coisa resulta e o "projecto" vai para a frente, chega a data de estreia e é o que se vê: o vómito mental e a preguiça substituiram a ideia.

Enquanto comemos gelado de baunilha e vemos este filme, sentadinhos na cama, numa casa algures nesta ilha, vamos ficando a saber que existem outras ilhas, mais a Sul, que estão rodeada por oceanos a sério.

sexta-feira, agosto 15, 2003

Noites de Verão
Temos passado algumas noites numa tenda mosquiteiro que temos no quintal. Sentamo-nos lá depois do jantar a contar histórias e a ouvir música. À dois dias atrás ouvimos um cd dos Sigur Rós. Envolvidos pela tenda e pelas árvores dos quintais vizinhos, a acústica é diferente. Sentimo-nos muito bem! Estamos como que a acampar, mas sabemos que temos todos os confortos da nossa casa a poucos metros.
Quando ficamos com sono voltamos a casa para dormir.

Volta a cidade em bicicleta
Como a nossa casa fica a 20 minutos do centro da cidade, resolvemos comprar bicicletas em segunda mão. Já temos uma e estamos a tentar comprar outra. Ontem fomos à aula de Karate de bicicleta e foi muito estranho. Já não andavamos de bicicleta à alguns anos. A sensação de andar no transito de bicicleta é muito boa. As condições para o fazer também.

"O Meu Coração é uma Camera"
Não nos lembramos quem disse isto, mas não faz mal. As críticas às nossas fotos, recebidas através do Trekearth, fizeram-nos pensar um pouco melhor que poderiamos tornarmo-nos fotografos amadores, com um pouco mais de cuidado.
Não é que tenhamos essa ambição, e nem pouco mais ou menos esse talento (nem mesmo ao nível do hobbie isso se manifesta).

Colocamos algumas fotos nesse servidor apenas por curiosidade, mas as críticas que recebemos (entre as quais do Jorge e do Paulo, desde já os agradecimentos públicos a ambos!), fizeram-nos começar a sentirmo-nos como caçadores de imagens. O nível de qualidade das fotos das outras pessoas e a nossa pouca ambição inicial de fazer boas fotos (da nossa parte), também nos incentivaram.

quarta-feira, agosto 13, 2003

NOVAS IMAGENS
actualizacao do site das imagens (usem o link na barra da esquerda, please! ou escrevam http://diarioingles_fotos.tripod.com/)

terça-feira, agosto 12, 2003

That's the way the cookie crumbles (Enrico dixit)

Esta é a terra dos Churrascos no verão. As temperaturas estão muito altas aqui.
Fizemos um Churrasco hoje com muitos amigos, alguns dos que vão embora amanhã cedo.
Estamos tristes.
No momento em que estamos a escrever isto, estão a ir embora algumas pessoas que nos poderão marcar para toda a vida. Aquelas pessoas que poderão ser personagens de filmes que temos na cabeça.
Depois de uma festa tão espectacular, é quase masoquista ver amigos ir embora, possivelmente para sempre.
A doce Claudia ou o louco Enrico (o autor da frase que está no título) são alguns dos que vão embora agora. O Enrico ainda está lá fora a rir, mas todos nós sabemos que não vai ser fácil sair porta fora depois das despedidas do costume, depois das promessas de "sim, vou voltar um dia, sim, vemo-nos por ai..."
Estamos a ouvir o Jorge Palma neste momento em que estamos a escrever, depois de uma pausa brusca e triste na festa para nos despedirmos da Claudia.
Como personagens do "Bairro do Amor", toda esta gente, que não tem nada em comum connosco ou entre eles, esteve alguns meses apoiada nesses mesmos amigos bruscos que fez.
Será que ficará alguma coisa "no bairro do amor, onde a vida é um carrossel e onde há lugar para mais alguém e onde o tempo morre devagar"?. Será que ainda cá estamos no fim do verão?

Para falar a verdade, este post deveria ter o título de "O Bairro do Amor". É aquela zona marginal, onde o Sol parece maior e há ternura em cada olhar. É onde se guarda (e agora o dedo aponta para algumas zonas do corpo, mas hesita entre a cabeça e o coração), onde estão guardados os amigos que temos, aqueles que estão sempre connosco para toda a vida.

sexta-feira, agosto 08, 2003

Noel, o ouvinte dos golfinhos
O Noel foi-se embora. O Noel é muito calado, prefere ouvir. O trabalho do Noel é o de ouvir. Ouve e analiza os sons dos golfinhos e por isso não está na nossa frequência sonora. Está numa frequência mais alta, onde o barulho humano só chega às vezes. O Noel voltou para Bordéus hoje. Dentro em breve, se tudo correr bem, estará nas Honduras para continuar a ouvir.

Novo Site com Fotos
Uma Imagem, Uma Ideia... Para os mais curiosos da imagem criamos um blog de imagem no trekearth que pode ser visto aqui.
Podem (e devem) participar nos fóruns criados em imagens específicas. Esperamos que gostem
Cosmos 1999
Filipe wrote:é obvio q no grande ordenamento do cosmos apenas vos podia estar destinada felicidade (qq q ela seja, principalmente a vossa)
espero q corra tudo sobre carris a partir de agora.
um abraço
filipe
p.s.-de partida para o sudoeste

quarta-feira, agosto 06, 2003

A Europa a Arder
Parece que o mutismo dos media ingleses mudou devido à onda de calor. Pela primeira vez desde que aqui estamos vimos imagens de outros paises europeus nas notícias.

Um reporter algures no centro de Portugal deixava ver o Caos. O desespero sentido ao ver as notícias hoje já tinha sido notado quando ontem vimos os jornais on-line e quando o Geraldo, um amigo brasileiro, comentou o facto de as coisas estarem realmente muito mal em Portugal.

Embora tenha sido menos falada a atitude do "deixa arder" do governo português, a imagem deixada foi a de uma conjunção de esforços entre os bombeiros e voluntários, que combatiam sozinhos o fogo e a indiferença.

12 Graus para Oeste
Os Domingos à noite são passados num bar "very continental" chamado 12degreeswest. É único por aqui.

O pátio é uma recriação de uma praia de Ibiza, com areia, palmeiras e um dançarino que faz malabarismos com fogo. O ambiente é mesmo muito bom.

Sabemos que o próximo domingo será de arrasar porque é a última noite de um grande grupo de "leonarditos" que vão embora na segunda-feira.

Language is a Virus (2)
O calor está mesmo a fazer mal à cabeça de muitas pessoas. Para aumentar o escandalo David Kelly, o governo britanico só fez ainda mais merda (será possível?) ao andar a dizer que o homem era, em bom português, um maluquinho que gostava de inventar disparates.
Como se não bastasse isto foi afirmado por vários MPs, em privado, mas aproveitado pelos jornalistas, no dia do próprio funeral do cientista. Claro que se seguiram uns hipócritas pedidos de desculpa...
Até nos começamos a sentir em casa!

segunda-feira, agosto 04, 2003

I Don´t like Reggae, I Love It
Fomos para o Caribbean Carnival em Leicester com a Patrícia, o Ian e o Xavier "Killing Zoe" (mais uma bando de gente que foi aparecendo). Perdemos o cortejo, mas ainda vimos algumas bandas a actuar no palco principal e tivemos oportunidade de provar comida jamaicana.

Estivemos muitas horas ao sol, com uma temperatura demasiado alta. Apanhamos um escaldão e agora exibimos um bronzeado (de camionista) de fazer inveja aos "bifes".

Voltámos a mudar de casa!
Mudamos para casa da Patrícia e do Ian no sábado passado.

Ficamos uns dias na casa do Andrew, que foi para a Cornualha de férias, mas a casa estava povoada de gente estranha. Parecia a Convenção do Hippies Anónimos. Ficámos num quarto nojento e minúsculo que tinha uma bateria. Nem sequer cabiam todas as nossas malas.

Aproveitamos o convite da Patrícia para mudar. Parecia preocupada pelo nosso estado mental. O Ian ajudou-nos com as malas, depois de termos chegado do Caribbean Festival em Leicester.

Ainda pensamos tentar alugar uma casa com a Alison, mas se isso falhar, sabemos que podemos ficar pela Alan Moss Road.

É muito bom ter amigos aqui e pelo menos parece que as coisas estão realmente a mudar para melhor.

Language is a Virus
O inquérito sobre a morte de David Kelly está a deixar os políticos britanicos com a cabeça em água. O caso tem um insólito interesse porque lida a questão "até onde é que a propaganda pode substituir a realidade sem ser posta a descoberto". Se o sr. Blair tem ou não as mão manchadas de sangue, não sabemos. O que já entendemos é que este "affair" vai fazer mais vítimas e mais alguns suicídios (pelo menos políticos) se vão seguir.
A atitude "socrática" de David Kelly, com tudo o que de grave representa, só mostra que o animal político é apenas um predador sem princípios e que usa a linguagem de uma forma obscena.
Alguém deveria propor a criação de parques temáticos, onde se podessem fazer safaris utilizando políticos como alvo.
Lembrem-se sempre que "The basic tool for the manipulation of reality is the manipulation of words. If you can control the meaning of words, you can control the people who must use the words." (Philip K. Dick, 1928-1982)

sexta-feira, agosto 01, 2003

feedback!!!
aqui fica uma mensagem sobre o post de ontem e mais o link sobre a debate das camaras LOMO (tb podem dar uma saltada e espreitar este blog):

Não sei se já reparaste, mas mudei de blog e esta entrada interessa-te:
http://www.livejournal.com/users/terraestranha/7338.html

aqui fica o excerto mais significativo:

"Isto vai mesmo a favor daquilo que publicamos num post de alguém que
pedia opiniões sobre as câmaras LOMO (Jorge depois manda-nos o link para
publicarmos aqui). " (...)
[in http://diarioingles.blogspot.com/ - Quinta-feira, Julho 31, 2003]

aqui fica o link:
http://www.livejournal.com/users/espuma_dos_dias/4693.html?thread=36693#
t36693



Jorge Florêncio
Blog:http://www.livejournal.com/users/terraestranha

quinta-feira, julho 31, 2003

Novo Look
O nosso Blog está com um novo look e nós também. Esperamos que gostem!

Licor Beirão, sabor de Portugal
Ainda nos lembramos do velhinho anúncio do Licor Beirão, mas agora com a colaboração do Dr. Lello Marmelo, um dos maiores génios da actualidade portuguesa e mentor de um bando de malfeitores, a coisa ainda está melhor. O novo anúncio, com a fronha do bicho e umas moças em biquini dá nova vida ao produto. 'Bora já pr'á tasca!


Hello, hello, we are back again!
Depois das férias merecidas, estamos de volta. Chegamos bem, embora estivesse a decorrer uma greve dos controladores ingleses e chegamos inteiros a Loughborough.

A primeira coisa que fizemos (depois de ter que arrastar as malas) foi comer umas chips com salchichas de porco numa lojinha de uma família do Chipre (muito simpáticos) e convidar algumas pessoas para beber um copo no Swan.
Ao contrário de Lisboa, aqui as pessoas vieram mesmo beber um copo connosco... (deixamos desde já os nossos obrigados às poucas pessoas que nos ligaram alguma coisa em Lisboa durante o último mês).
Para falar a verdade ainda agora aqui chegamos e já começamos novamente a sair à noite, coisa que não fizemos em Lisboa.

Bom, mas falando doutras coisas, nos próximos dias iremos tentar alugar uma casa com uma amiga, acabar umas coisas ... depois damos mais notícias.

Wasted!
Estivemos a ver um documentário na BBC2 sobre a Corinne qualquer-coisa, aquela fotografa (não sabemos se se diz assim mas pronto) que tornou popular o "Heroin Chick" e descobriu a Kate Moss. Chegamos à conclusão que qualquer um pode ser um fotografo, desde que seja genialmente despretencioso (e muito drogadão, mas essa parte da equação não interessa agora). Ter excelentes ideias (inovadoras se não for pedir muito) também ajuda.
Isto vai mesmo a favor daquilo que publicamos num post de alguém que pedia opiniões sobre as câmaras LOMO (Jorge depois manda-nos o link para publicarmos aqui).
++++++++++++++++++++++Uma nova fase!!!++++++++++++ (o primeiro dia do resto nas nossas vidas)++++++++++++++

sexta-feira, julho 04, 2003

we are back!

Chegamos a Lisboa Segunda ao fim da tarde, depois de uma noite onde só dormimos 3 horas (devido à festa de despedida a que fomos sujeitos) e de muitas peripécias na viagem, que incluiram problemas entre 3 portugueses e os estúpidos animais que conduzem os autocarros para Londres.3+3=6.
Ás 6 chegamos a casa finalmente e já sentimos Portugal por todos os poros. Após 5 minutos em solo portugues já estarmos chateados com os trolleys do aeroporto da portela, onde se paga 1 Euro para nada.
Os nossos sentidos estavam um pouco atrofiados por uma vida de 3 meses e meio (mais um 3!) em inglaterra e tudo parecia bizarro: as pessoas falam portugues na rua, nós já não estavamos habituados a ser compreedidos, os táxistas guiam normalmente (a nós pareceu-nos mais uma viagem no combóio fantasma). As ruas do Bairro Alto são pequeninas e pareciamos matraquilhos aos encontrões às pessoas.
Nada Mudou, quem nos avisou que as coisas estavam mal tinha razão. Foi um choque fazer compras no supermercado na Quarta-feira, os preços estão mais elevados que à 3 meses atrás (e são os mesmos que pagamos em Loughborough!!).

Estamos a empacotar tudo. Desistimos da casa em Lisboa. Tem sido uma semana a tentar mandar tudo para o lixo, ficar com o indispensável, levar tudo para a casa no norte. Nunca reparamos que acumulamos muita coisa, estas ocasiões são sempre um choque.

Voltamos para a U.K. em Agosto, vamos acabar uns projectos e começar outros e depois talvez mudar de poiso por mais alguns meses.

Blog mania

Não tinhamos ideia da proliferação de blogs em Portugal até um amigo nosso nos avisar das polémicas entre várias personagens portuguesas nos últimos tempos. O que é um facto é que já existe uma adaptação portuguesa à palavra ("blogue" segundo lemos em algum jornal) e até já existem crónicas "blog style" nos jornais nacionais. Ainda bem!
O blog, como concentração de informação (importante ou não) e de expressão pessoal (mesmo que narcisistica), é um sinal de evolução que faltava no mundo virtual (embora exista desde o início). A sua democratização e divulgação deveria constar de qualquer planeamento político e autoridades competentes do plano psico-medicinal.

O estado da nação

Em época de balanços, vamos também fazer o nosso balaço de 3 meses e meio fora daqui.
Chegamos muito cedo à conclusão que certo tipo de problemas são gerais. Parece-nos mesmo que tivemos alguma má sorte em algumas coisas que nos aconteceram. Algumas vezes o estado de espírito não foi o melhor. Deparamo-nos com problemas, agora minimizados, mas que nos abriram os olhos.

De qualquer das formas, parece-nos impossivel fazer em Portugal o que fizemos até agora:
Dormir 10 a 12 horas por dia e ter ainda tempo para viver tudo; aprender (de graça) montes de coisas novas; contactar com pessoas brilhantes; trabalhar como freelancers e ganhar uma quantia nada desprezável de dinheiro; não encontrar gente com pouca fé nas nossas possibilidades; não ter conflitos creativos com ninguém e simultaneamente aprender muito falando com pessoas de perspectivas diferentes da nossa; ganhar mais amigos (daqueles que temos que guardar para a vida); falar com pessoas de todo o mundo; entender que podemos viver em qualquer sítio da Europa com alguma facilidade dado a nossa condição de viajantes neste momento; entender que estamos velhos para aturar certas coisas, mas que somos muito novos (pelo menos de espírito)...

Percebemos que não estamos assim tão mal, que existem outros países, onde o avanço não lhes permite ter uma visão melhor das coisas, que os teenagers portugueses não estão assim tão mal, que a rotina é a morte do espírito.

Aprendemos muito nestes últimos meses... e isso ninguém nos pode tirar! como dizia um velho anúncio da Rádio Cidade, "melhor que isto só água de coco no deserto". Talvez não tenha sido assim tão bom, mas foi muito bom.
Já compramos os bilhetes para voltar.

terça-feira, junho 24, 2003

O Último Dandy na Europa
O Rama Gumpta é um senhor indiano que conhecemos à alguns meses. É vaidoso de viver e a vestir. Um verdadeiro Gentleman.
Rama Gumpta Vive há 39 anos numa casa com um pátio muito lisboeta. Estão a construir o maior shopping centre da região no outro lado da rua. Da janela Rama Gumpta vê o monstro a evoluir e já nos disse que vai mudar de casa.

Hoje encontramo-lo mesmo a sair de casa e mostrou-nos um jardim que construiu durante estes últimos 39 anos. O Rama Gumpta escolhe com cuidado uma flor do seu jardim para oferecer à Nela. Todas as senhoras recebem uma flor no jardim do Rama Gumpta.
Rama Gumpta é o último Gentleman inglês.

Ena pá que Luxo!

Durante os nossos preparativos para a nossa viagem para aqui esquecemo-nos de algo que nunca julgavamos importante trazer: música portuguesa!

Aqui à uns dias estavamos a ver um documentário na BBC sobre a pilhagem que os nazis fizeram aos principais museus da Europa (ainda hoje alguém nos disse que a TV inglesa tem uma particular obsessão pela II G. M.) e o transporte das maiores obras de arte europeias para uma mina obscura. Um dos participantes do documentário dizia que era normal em todas as invasões os conquistadores privarem os conquistados das obras que representavam a sua cultura.

Como por cá só nos lembramos de pastéis de Belém e do "cock" de Barcelos (é mentira mas pronto) como obras representativas da nossa cultura, melhor, Cultura (com C grande), ignoramos que poderiamos num acto de desespero ouvir música portuguesa. Somos os opressores e oprimidos de nós próprios.Privamo-nos a nós próprios daqueles pedacinhos de cultura que temos armazenados nos CDs de mp3. (a Nela diz que ela não se esqueceu).
Qual Ministério da Cultura, borrifamos para tal. Nem pensamos duas vezes quando perdemos um dia inteiro a escolher música para trazer.
Hoje, depois de ouvirmos um cd dos Ornatos Violeta, a fome era tanta que, depois de muito procurar pelos backups que temos cá, encontramos partes do Best Of dos GNR. Estamos babados...
Ouvir alguém cantar em português (mesmo que mal) é uma sensação muito boa no nosso estado mental.
Os GNR são uma ganda banda!

vamos receber o nosso prémio hoje

Lá chegou o dia. Para os mais atentos, decerto que se lembram que ganhamos um pequeno prémio monetário para desenvolver um projecto. Hoje é a cerimónia de entrega dos prémios e nós vamos mascarados de artistas pobres, estamos sem roupa de cerimónia.

Por cá isso é normal. Na festa de aniversário de um daqueles putos da família real, aquele que será o rei da U.K. dentro de alguns anos, apareceu um gajo (ou melhor um cómico terrorista) mascarado de Bin Laden com uma túnica cor de rosa com uns chumachos nos ombros, uma longa peruca e barba e umas cuecas de ovelha negra peluda (que parecia aquilo que vocês estão agora a pensar que parece)... Em todo o caso este jovem promissor (o artista, não o puto real) é o nosso herói: conseguiu enganar toda a segurança (e já não é a primeira vez), que estava pronta até para ataques de terroristas extremistas! Não percebemos é como, num nível de segurança tão alto um tipo vestido assim consegue discursar para todos os convidados e tocar em membros da família real imponemente...

sexta-feira, junho 20, 2003

Novidades

Pelo que estamos a perceber os nossos leitores têm diminuido a atenção sobre o nosso diário. É normal, o calor aperta, o pessoal balda-se ao trabalho e vai para a praia, ou tem muito trabalho e não nos consegue dar dois minutos de atenção semanal ... nós percebemos!

Reparamos que ninguém nos disse nada sobre o nosso novo site (o das experiência com o Poser). Vá lá toca a navegar.

por cá está tudo bem. Estamos com uma nova remessa de cigarros (muitos obrigados!!), objecto de vital importância quando o stress aumenta e o dinheiro diminui. Começamos o nosso workshop de animação de volumes (que pelos vistos não poderemos frequentar porque estaremos em Portugal dentro em breve).

A febre dos fenos ataca (que merda de tempo...chove/faz sol/faz vento/faz sol/chove/faz sol...). Os ingleses continuam na sua vidinha enquanto o mundo lá fora evolui!


O último Homem na Europa

Vimos um documentário notável sobre o George Orwell na BBC. Começamos a perceber tudo o que se passa aqui.
Segundo o Georgie O, o maior visionário inglês do século XX (e não se use a palavra em vão sff, que é moda agora), uma sociedade como a retratada em "1984" pode ainda não ser possível, mas inconscientemente estamos a vivê-la desde o pós 2ª guerra. Isto foi afirmado em 1950, durante uma entrevista.
Para além de um ávido "street fighter", o senhor contemplava os seus contemporâneos com a frase "o fascismo é como uma bota a esmagar uma face humana". Mas não se estava a referir ao passado (na altura ainda muito próximo), mas ao futuro do mundo da informação e da contra-informação, hoje banalizado.
Quem tem o "1984" como livro de cabeceira (até ideológica), leia-o outra vez com outros olhos e vai ver o que é bom para a tosse. Acabam-se os lirismos filosófico-politicos do século XX e começam as preocupações ideologicas do XXI.

A pedra de toque é INFORMAÇÃO! Quem a têm (ou a procura), abre os olhos, quem não se esforça vive na "Matriz" de um mundo feio, onde impera um egoismo fascizoide e consumista... Um R.U. onde as notícias de abertura são o Beckham no japão e a família real a tomar um refresco.
As divergências entre a França/Alemanha e o R.U. são uma questão de ciúmes não resolvidos, onde a opinião pública de um lado está muito mais esclarecida que do outro. Façam-se as relativas adaptações e consegue-se analisar o estado da Europa de hoje.
Um iraniano disse-nos isto poucas horas depois deste documentário. Tivemos a mesma conversa com uma portuguesa 24 horas antes!

Corram às lojas!!! está à venda o Animatrix!

Pois é já compramos e podemos dizer que é indispensável para os apreciadores de animação e profissionais do género.
9 curtas com os melhores directores de arte japoneses de sempre e um menu recheado de extra...enjoy!


Para os fãs do Harry Potter apenas

Tem sido uma correria para os livreiros por aqui o lançamento do 5º livro do Harry Potter. antes da meia noite de hoje foram encomendados cerca de 1 milhão (!) de livros SÓ na Amazon, desapareceu um camião cheio de livros no ínicio da semana (literalmente), um tipo que trabalhava numa tipografia foi preso e há que já tenha o livro comprado no mercado negro por somas elevadas. Nós ainda não o vimos à venda.

quarta-feira, junho 11, 2003

Isto está a tornar-se muito repetitivo!

O Social por aqui está em estado de choque com o bando de estrangeiros que vive a noite por aqui. Temos ido a festas quase todas as noites com rapaziada brasileira, portuguesa, francesa, alemã, espanhola, holandesa, japonesa... e até alguém inglês.
Depois das festas ficamos a trabalhar no portatil até de manhã... é a vida!

Entretanto inventamos mais um site, apenas dedicado às nossas brincadeiras com o Poser (um programa 3D bastante viciante). O URL é: http://www.geocities.com/akalab_characters.

A rapaziada que por aqui anda à solta está quase a acabar o Leonardo ou a universidade e outros vão mudar de ares brevemente. Achamos que vamos ficar isolados por aqui.

Mundo Catita

Estamos com muitas saudades de casa. Quando os problemas nos atormentam, quando temos dúvidas existênciais ou quando nos chateamos com alguém, apenas existe um porto de abrigo: Os Irmãos catita!
Os Irmãos Catita são a banda mais genuína do rectângulo verde e vermelho. São porcos, obscenos, ultrapassados e saudosistas de uma forma javarda, mais ainda ninguém notou que são um dos poucos pilares que restam da "portugalidade".
São o que resta da Exposição do Mundo Português, O circo mais "cardinalli", a banda mais "batatoon", o King size da música portuguesa.
Um subsídio do ministério da cultura para os catita JÁ!


Lista de coisas que temos que fazer em Lx

O calor já aperta e, como bons emigrantes, vamos voltar à maison natal no mês de Julho.
Ponham os óculos escuro e curtam lá este verdadeiro roteiro pela Lisboa do nosso coração:

-Beber um café decente
-Beber umas imperiais no Adamastor (desde já está toda a gente convocada)
-Ver um (pelo menos) concerto dos Catita (naquele magnífico clube de strip)
-Comer sardinhas assadas (só para a Nela)
-Comer um Cozido à Portuguesa
-Ir ao São Jorge (sala1) ver pelo menos um filme
-Ir à cinemateca Portuguesa
-Telefonar à polícia do Bairro Alto a fazer queixa dos atrasados mentais que têm um bar na Rua dos Mouros (a propósito, já fecharam ou não?)
-Ir à praia
-Ir ao bar gótico da esquina (mas só depois das 2 da manhã)
-Beber caipirinhas em casa
-Ler um Jornal decente
-Ouvir os relatos da bola na TSF
-Andar de electrico e contar os carteiristas
-Mostrar choque quando se ouvem as notícias na rádio ou televisão

quarta-feira, maio 28, 2003

Novo site de fotos

podem ver novas fotos em: http://diarioingles_fotos.tripod.com/

desculpem a existencia de banners por todo o lado (problemas com estes servidores livres, sorry!).


terça-feira, maio 27, 2003

Acabamos um novo site
Ora vejam lá isto em http://microiceland.tripod.com !!!!

O Porto é uma Nação (ler com pronúncia do norte sff)

Não calculam como é importante, para nós exilados, ver um jogo com uma equipa portuguesa, vê-los ganhar um jogo com mérito e prestígio.
Uma lufada de ar fresco na nossa vivência por cá, que por vezes começa a ser difícil de aguentar.

Fomos a Nottingham

Nottingham é uma das cidades mais avançadas do R.U. (pelo menos é o que nos contaram). Uma pequena Londres onde ainda é possível viver, o Right Spot neste momento.
Começamos a perceber que Londres e Nottingham não são do R.U.: foram emprestadas pela mentalidade alguma fresca que ainda se pode encontrar em algumas cidades europeias. O resto do R. U. cheira a mofo, é "poucochinho", tem uma mentalidade retardada, presa algures nos anos daquele gajo parecido com um bulldog que fumava charutoo e tinha uns chapéus de coco muito giros.

Desculpem lá o desabafo, mas analizando friamente os factos isto é verdade.

Big Brother is watching you!

E pronto. lá começou o BB por estas bandas mais uma vez. Este BB 4 ou 5 até tem uma descendente de emigrantes portugueses! Uma moça com cara de cavalo que diz em cada frase a palavra "shit" (mas com sotaque emigrante, tipo "chaite"). É muito parecida com a Elsa, (lembram-se?) concorrente do BB portuga. Começamos a suspeitar de uma conspiração envolvendo clones para vender à Endemol.

Esperemos que também existam pantufadas na boca como no nosso!

Mas agora a sério. O BB local define, como todos os BB do mundo inteiro, a nação donde são os concorrentes. Qualquer marciano, com uma cassete VHS (ou qualquer suporte mais avançado de gravação), faria uma pesquisa muito avançada sobre os conportamentos dos animais de cada localidade. Quem sabe até ganhava um prémio literário ou científico se escrevesse o resultado.

R.I.P. Blackbird (2003-2003)

Estamos muito tristes porque resgatamos um blackbird bébé das garras do gato da vizinha (uma mulherzinha que tem medo de morte de pássaros). O Blackbird (achamos que se diz "Melro" em português),foi cuidadosamente alimentado por nós de duas em duas horas, o que quer dizer que quase não dormimos.
Às 11 da manhã estava morto, talvez devido à ferida que tinha.
Temos estado a vingarmos-nos do gato, pondo o Hamster dentro de uma bola de plástico transparente a acelarar pelo jardim, perante o olhar impotente do gato.

Acho que também vamos fazer uma fisga para lhe mandar cenas, mas isto já não estamos a contar!

(nenhum animal foi ferido ou morto durante este relato)

temos 4 semanas para arranjar um emprego

Parece uma tarefa do survivor: temos que ter um emprego nas próximas 4 semanas ou então não podemos voltar depois do verão.
Começamos já a sondar o pessoal de Barcelona, mas até agora ainda não vimos nada.

O pessoal francês

Temos saido muito com o pessoal francês e espanhol que ainda cá está pelo Leonardo. São pessoal fixe. Vivem mesmo ao lado de uma casa de putas (muito afamada segundo nos disseram), fazem grandes festas e são pós-teenagers com muito juizo.

Numa destas festas, fizemos uma sondagem, para tentar entender o que pensavam sobre os ingleses. Quando feita a pergunta faziam um sorriso amarelo e uns gestos que nós usamos para definir as palas dos burros.
O Reino Unido está isolado do resto do Europa (muitos nem se consideram europeus), é ignorante, tem a maior taxa de teenagers grávidas, existe muito mau gosto (mesmo muito mau gosto) e não sabe o que são relações humanas. É certo que são eficientes, tudo (ainda) funciona bem, têm bons escritores e cineastas, mas... a concepção de liberdade humana desta gente é beber até cair e gregoriar as ruas de Ibiza no verão.

Quando nos dizem estas coisas, nós dizemos que é do clima.

P.S. acho que os amigos ingleses que temos aqui são realmente especiais: são exactamente o oposto do que contamos em cima!

terça-feira, maio 20, 2003

Como nunca mais dissemos nada, aqui vai mais feedback dos leitores

Actualizamos o diario na Quinta, encontro marcado aqui.
Entretanto aqui vai mais feedback da nossa emigrante holandesa (desculpa Ana mas tinhamos que colocar aqui a tua mensagem!)

Ana Francisco
atencao:

o meu silencio deve-se apenas a excesso de
vida proissional, social e pessoal ...
os excessos de informacao e de acontecimentos
nao me permitiram responder-vos...

MAS:

tenho lido TUDO e vi as fotos e o que posso dizer,
assim de repente,
e sem pensar muito é:

Estou com voces
(apesar da invisibilidade e da falta de demostracoes exteriores de afectividade)
e continuo a acompanhar o vosso Caminho,
com atencao e intensidade.

um grande abraco, desta vossa também emigrante,
que compreende a necessidade de ouvir
carlos paredes (ou talvez nao),

Ana

PS: viveu em minha casa durante os ultimos 4 meses um nativo da isle of man ...
coisa rara.
um jovem muito interessante e especial.
falei-lhe acerca da vossa recusa do emprego lá, e ...
ele percebeu perfeitamente.

PS 2: fui ao consulado portugues aqui em roterdao. uma coisa linda...
o que gostei mais foi de ver um bocadinho do Portugal no coracao - programa magnifico da rtp internacional,
com fados e marchas e piadas porcas...
lindo !!!

quinta-feira, maio 15, 2003

As coisas estão a mudar
Aos poucos começamos a sentir-nos mais fixos por aqui.
Temos tido bastante trabalho e alguns projectos interessantes vão começar dentro de alguns dias.

Todos os dias conhecemos novas pessoas, o nosso grupo de amigos aumentou e a nossa colecção de cartões pessoais e contactos na agenda também.

Ganhamos um prémio!
Ganhamos um pequeno prémio de incentivo a artistas (de um laboratório de cosméticos) para desenvolver o projecto de animação.

Despedidas
Despedimo-nos dos espanhóis este fim-de-semana.
Fizeram uma festa num pub que alugaram durante os meses que estiveram cá e estava toda a gente um bocado triste. No final da noite o estado da coisa aumentou e a bebida começou a trabalhar mal para muitos deles. É realmente um sentimento muito estranho o de estar a estudar fora e estar prestes a começar a idade adulta.

Estamos sempre a lembrarmo-nos do "Albergue Espanhol" (aquele filme muito merdoso, mas genial na forma como descreve o pessoal do Erasmus). Este pessoal acabou agora a faculdade, tiveram três meses de estágio fora do país de origem e quando tudo isso acaba o que é que sobra? A rotina de um emprego (ou do desemprego), de uma vida cinzenta condicionada por um fato e uma gravata, ver televisão até rebentar o neurónios, acreditar em tudo o que nos dizem, não se chatear muito com as injustiças, consumir tudo o que proporciona uma "vida feliz", lamber o cú ao patrão para poder trocar de carro uma vez por ano... é o fim da aventura adolescente de viver sempre no limite.

Na festa conhecemos a nova fornada de Leonarditos que vêm para cá 3 meses: portugueses (um grupo de açorianas), gregos, alemães... esperamos que mantenham o espírito que os espanhóis tinham.

palavrinhas de apreço
Jovem Filipe obrigadossss pelos cigarros e pelos filmes e por aguentares com espírito de sacrifício a papelada que temos recebido em Lisboa. Já agora obrigado pelas palavras de incentivo que nos deste no telefonema do outro dia (este obrigado é extensivo a todos os que nos telefonaram ou mandaram emails durante estes dois meses a dizer: aguenta malandro que isto não está para brincadeiras)

Já somos pais!
O Andrew foi para França durante uma semana e nós ficamos a tomar conta do puto Owen, da Rudy e no Nibbles (o hamster). É fixe termos a casa só para nós. Começamos agora a acordar muito mais cedo, o que aumentou a nossa produtividade. Começamos a sentir a verdadeira rotina inglesa, o que é bom, mas às vezes faz sono.

A festa na Charnwood Arts
Tivemos uma soirée na C.A. de apresentação de projectos à comunidade. O Koske (o nosso amigo japonês) esteve lá a desenhar, tivemos música irlandesa ao vivo, uma repórter da BBC que costuma lá ir apenas para roubar ideias para o site e a Mayor da cidade, que nos contemplou com uma sessão de jambés muito... interessante. Alguém disse à senhora que "aquele pessoal português que está ali sentado, se estivesse em Lisboa, já tinha chamado a polícia ou atirado um balde de água". Foi muito giro.


quinta-feira, maio 08, 2003

Mais feedback

Aqui vai mais uma mensagem. Mais actualizacoes dentro de alguns dias!
Filipe
subject: a honra sobressaiu
ganhamos 1-2 e demos o título ao tripeiros
menos mal, antes eles do que os lampiões a ganharem
um abraço
filipe


comentario: digam-nos qual a data do jogo do Porto, para podermos ter algum orgulho nacional aqui por estas bandas
(durante a transmissao na TV)

sexta-feira, maio 02, 2003

Buena Onda

Começamos a ter uma vida social mais carregada e estamos de ressaca à dois dias.
Fomos sair com o pessoal espanhol à dois dias e os acordos ibéricos por aqui estão melhores que nunca. Claro que a "movida" não é a mesma (tivemos que acabar a noite às 2 da manhã), mas conseguimos estar com pessoas que têm a mesma mentalidade que os portugueses.

Estes nossos amigos até à umas semanas atrás, tinham alugado um PUB só para eles, e agora que já não o podem fazer, as noites começam a ser menos selvagens. Mesmo assim, ainda se dança por aqui (e ainda se bebe...).

A maior parte deste grupo é de Barcelona, embora também juntem algum do pessoal francês... Começamos a perceber que estamos, de facto, numa ilha e que o pessoal daqui não tem nada a ver com a Europa.

Entretanto ficamos a saber que moram cá 3 portugueses que estão a morar no mesmo sítio que um japonês que conhecemos hoje.

O Koske, esse japonês, é um designer que está cá a estudar e as ilustrações que ele faz são ESPECTACULARES (QQTa uma mensagem para ti: vê lá as imagens que estão em http://www.charnwood-arts.org.uk/webworks/exhibition.php?exhibitionid=326&cat=5) Acho que vamos fazer qualquer coisa em conjunto, talvez umas animações ou algo assim.

Também ficamos a conhecer o Reverendo local, vamos fazer uns trabalhos para um festival na Igreja, o que é, para nós, insólito.
Na segunda-feira (aqui é feriado) vamos almoçar a casa do reverendo para saber mais coisas.

Mais feedback dos nossos leitores

Aqui vai!:
Filipe:
depois de ler o vosso ultimo post no blogger a unica coisa que tenho para dizer é, no rescaldo do 1.º de maio - A LUTA CONTINUA
ainda bem que são tocados pela mística portuguesa, podiam ler Eduardo Lourenço...
amanha temos grande confronto benfica-sporting
um abraço
filipe
p.s. - como diz a musica dos radiohead; "i might be wrong" mas isso não pode ser obstáculo a nos realizarmos.

terça-feira, abril 29, 2003

Portugal vs. UK

Não sabemos bem como, mas pelo feedback que temos recebido do pessoal em Portugal, parece que estamos aqui bastante descontraidos. Mas não!

Temos atravessado momentos algo conturbados por aqui, sobretudo porque a nossa auto-estima por vezes vai abaixo. Saudades de casa são frequentes nessas ocasiões (sobretudo depois de sabermos hoje da vitória do único clube português decente a seguir ao Belenenses, o Porto, adivinharam!).

Por vezes não é fácil lidar com as coisas, parece que estamos de férias, mas queremos é trabalhar (devemos ser os únicos na fila de espera do centro de emprego com essa atitude), as empresas inglesas são mudas em relação aos nossos curriculos e toda a gente que vamos conhecendo pergunta quanto tempo é que ficámos cá de férias.

Nós sabemos que em Portugal as coisas estão piores (toda a gente nos avisa), que aqui estamos a fazer coisas e ainda recebemos dinheiro por isso, a qualidade de vida é melhor, bla, bla, bla...
É um facto: somos portugueses! Temos aquela fatalidade inerente que nos faz parecer os cordeirinhos para o abate, fazemos beicinho em qualquer parte do mundo onde as regras não sejam do nosso agrado. Já só falta ouvir o Carlos Paredes e chorar todas as noites.

tentamos não ouvir o Carlos Paredes de noite. Lemos antes o Robert Anton Wilson, ou o Charlie Brown. Vamos começar a (re)ler o Stranger in a Strange Land. No outro dia ouvimos uma cassete do Robert Johnson (aquele gajo que vendeu a alma ao diabo para poder tocar blues). Concluimos o filme dos Radiohead (é verdade, Filipe, depois mandamos-te uma cópia). Vamos começar a curta metragem em 3D (Alex e Tiago be very afraid!!!).

No outro dia fomos apresentados ao dono de uma loja que nos disse que existem uma comunidade portuguesa aqui em Leicester, que se reúne num café aos fins de semana. Preparem-se, pois quando voltarmos o "emigrante spirit" estará em total força e só vamos ouvir a Ágata e o Toi.

Tentamos ter sempre em mente as máximas do Gurdjieff. Para quem não as sabe aqui estão elas (desculpem lá a seca mas tem que ser):

I. It is better to be temporarily selfish than never to be just.
Only conscious suffering is of value.
Man is given a limited quantity of experiences; being economical with them lengthens his life.

II. Know that this house is of value only to those who have recognized their nothingness and believe it is possible to alter.
Here we can only direct and create conditions, but not help.
Remember that here work is not done for work's sake, but as a means.
Like what it does not like.

III. Conscious love evokes the same in response.
Emotional love evokes the opposite.
Physical love depends on type and polarity.
Faith of consciousness is freedom.
Faith of feeling is slavery.
Faith of body is stupidity.

Hope of consciousness is strength.
Hope of feeling is cowardice.
Hope of body is disease.

(:::)

There is only one kind of magic and this is 'doing'.

All energy spent on conscious work is an investment; that spent mechanically is lost forever.

We must destroy our buffers. Children have none; therefore we must become like little children.

We attract forces according to our being.

Humanity is the earth's nerve-endings through which planetary vibrations are received for transmission.

Everything in the universe has a place in a scale.

No energy is ever lost in the cosmic scheme.
We have good and bad angels. The good angels work by way of our voluntary, active nature and the bad through our passive nature.

Mr. Self-love and Madame Vanity are the two chief agents of the devil.

Do not be affected by externals. In themselves they are harmless; it is we who allow ourselves to be hurt by them.

We never reach the limits of our strength.

If we do what we like doing, we are immediately rewarded by the pleasure of doing it. If we do what we don't like doing the reward must come later. It is a mathematical law and all life is mathematics.

We are sheep kept to provide wool for our masters who feed us and keep us as slaves of illusion. But we have a chance of escape and our masters are anxious to help us, but we like being sheep. It is comfortable.

quarta-feira, abril 23, 2003

Uma lição de Karate no Swan
Desde que aqui chegámos que precisavamos de exercício.
Dia 17 fez um mês desde que aqui chegámos e começamos as nossas lições de Karate.
À última da hora ficámos sem a sala.
No centro comunitário Indu, onde estaria alguém à nossa espera com a chave do sítio, não estava ninguém. Fomos ver a sede na companhia teatral da zona (onde foi a sede da Charnwood Arts à alguns anos atrás), mas também não havia espaço.
O Swan tem uma sala no primeiro andar, onde normalmente fazem concertos aos Sábados. Pedimos para treinar lá e, de graça, ocupamos a sala durante hora e meia.
Depois da aula ficámos a beber no Swan.
Foi uma sensação engraçada.

Os maiores tomates são os portugueses
Sem segundas intenções, ficam desde já avisados que os únicos tomates decentes nos supermercados da zona são portugueses.
Têm um rótulo que diz: "Origin - Portugal, extra large tomatoes". São os únicos aceitáveis para fazermos a nossa sopa de tomate, aquela que já alguns de vocês conhecem.

Voltámos ao trabalho
Depois de um mês em que tivemos pouco que fazer, estamos novamente a ganhar um ritmo semelhante ao que tinhamos em Lisboa.

Para além da Charnwood Arts, que começa agora a dar-nos trabalhos bastante interessantes, tivemos um convite de um departamento da Câmara Municipal para fazer um pequeno livro.
Estamos a coleccionar material para as possíveis sessões de VJ e filmes que possamos fazer no futuro. Estamos a acabar uma muito curta-metragem para uma competição lançada pelos Radiohead e esta semana começamos as nossas lições de Karate e Tai Chi.

Começamos também a perceber que estamos num sítio um pouco estagnado, onde acontece pouca coisa. Em conversa com algumas pessoas, começamos agora a pensar em organizar ciclos de cinema independente.
Estamos de volta!


Abençoados e-mails!
Queridos leitores:
No último mês recebemos bastantes e-mails com mensagens muito engraçadas.
Ficam desde já a saber que este tipo de feed-back é importante para nós, conseguimos sentir a proximidade da nossa terra natal.
Resolvemos publicar aqui alguns que recebemos nos últimos dias. Esperamos que não se importem. De qualquer das formas, os nomes são os verdadeiros, de forma a ocultar a identidade destas vitimas no crime, as pessoas também são verdadeiras, e ainda bem! We love you all como diria a estrela dos reality shows,Ozzie Osborne.

"Filipe"
Aqui Lisboa, escuto

Daqui lisboa em plenas férias da pascoa.
tou numa de relax com vista á recta final (até junho)
tive fora e vou estar fora a lourear a pevide
essa é uma das faixas que eu queria usar. o batuque do principio e as primeiras frases. a minha ideia era um cenário tipo pré ataque nuclear e depois tudo a fugir para um bunker (eu sei q não é muito subtil...) e o bunker é que explodia com relva, ervazinhas e vaquinhas felizes do lado de fora. isto seria para um pequeno clip 15 seg(?) só para brincar com os sons e com as palavras.depois desenvolve mais.
um abraço e boa sorte
filipe
tb com saudades (que lindo ser português e poder usar estas palavras lol)

"Alexandre"
Olá companheiros!

Que tal correm as coisas por aí?
Por cá não há grandes novidades.Há uma pequena novidade: eu e o Zé Pedro
temos ido correr às segundas e quartas feiras (o que me lembra um pouco a
série dos trintões...mas tem sido muito agradável). Agora o Zé está de
férias e como o Tiago (também inscrito no grupo da corrida mas
reincidentemente faltoso) não tem podido ir comigo, já tenho saudades da
minha corridinha. Até comprei uns ténis para correr...Hoje trouxe o
equipamento. Vamos lá ver se o Tiago alinha. Isto contado assim...Para que
não se criem equívocos, em boa verdade ainda só fui correr duas vezes (não
cheguei a ter oportunidade de estrear os ténis novos). A corrida dilata o
tempo: 15 minutos a correr parecem 45 ou 50. É verdade! E eu que nunca
compreendi a malta da corrida (e gozava mesmo com os gajos; achava-os
malucos!).Tenho dado por mim a comprar cautelas...Enfim, não tarda nada e
estou a deixar crescer o bigode e a ir à bola de rádio encostado ao
ouvido."Tudo está cheio de prodígios" como dizia o Jean Bodin.

Salve

Alex

"Inês"

Party people!!
Espero que esteja tudo a correr divinamente. Por cá tudo a correr dentro do normal. Começa a ver-se algum sol.
Escrevi só para não acharem que estavam esquecidos.
Bjs. Ah,a minha maison não está a ficar nada mal.


"Tiago"

Oi então como estão por aí? Espero que bem.

Já li o Guião escrito por o Alex, está fixe eu gostei imenso.
E vocês já trabalham por aì?
Já estou a Morar com a Filipa e Filipe na Casa nova (Linda a Velha)
Está tudo numa grande desarrumação, espero em breve ter aquilo arrumado
para que possamos fazer uma Jantarada e fazer uma bela sessão de filmes
sèrie B,
Quando regressam?
(...) Por agora é tudo abraços e beijos, saudades amigos..aproveitem bem isso
que aqui não se passa nada de novo...

"CRISTINA"
Subject : :)

Tenho andado a ler as vossas ms...

Por cá tem chuvido, verdadeiros dias Londrinos...
Hoje o sol, de tarde, voltou a Lisboa...
Por cá nada de novo,(...) ofereceram-nos 3 mesas cor-de-laranja originais dos anos 70 e um tapete em cores terra muito giro, mas que custou uma pipa de massa só para lavar.
Hoje uma colega do trabalho fez anos,e eu ofereci-me para fazer o bolo, como ela adora bolo de bolacha, foi o que eu TENTEI fazer, pelos vistos não bati o suficiente os ovos o açucar e a manteiga e o bolo ficou tipo, tipo, tipo, qualquer coisa muito nojento e sabia a gema com bolacha maria,mas estava bom, pelo menos todos comeram e bem.
Fico por aqui hoje, vou continuar a ler coisas vossas...

BEIJOS MUITO GRANDES
cris

terça-feira, abril 15, 2003

Está um dia de Primavera

Pois é, hoje temos temperaturas dignas de um dia de primavera em Lisboa.
Continuamos a procurar emprego, temos em vista uma casa para alugar no próximo mês.

Fomos à nossa entrevista bi-mensal no centro de emprego. Reparamos que todos os desempregados têm tatuagens.

Nos correios vendem chocolates e bebidas.
No banco todos os depósitos são feitos à mão. Nunca usam um computador. Cada depósito custa o mesmo que uma transacção. Cada transacção custa mais de 1 euro e meio.

Toda a gente fala em ter terminais de pagamento multibanco nas lojas como se fosse a última inovação tecnológica.
Fartamo-nos de rir no outro dia quando tivemos que pagar as compras no supermercado. Tivemos que assinar um papel quando mostramos um cartão multibanco. Não marcamos nenhum PIN nem outro código, apenas uma assinatura.

O número de fraudes e compras com cartões roubados está nos largos milhares de casos. Milhões de libras são desviadas todos os dias.

Estavamos à bocado a apanhar sol.

Aos poucos começamos a ter saudades de casa.
Ter o dia livre a passear por Lisboa seria óptimo.
Sentimos falta de ir à merceria ou à papelaria da esquina, ouvir os sons do Bob Marley dos bares da frente. Estar na nossa sala e tocarem à campainha. Falarmos duas horas com o Filipe e depois fazermos o jantar. Podermos ouvir o relato dos jogos de futebol e bebermos sagres para variar.
Se estivessemos aborrecidos iriamos ao São Jorge, ou ouviamos os nossos discos favoritos.
Podiamos ir ao bar gótico da esquina com o Tiago e a Filipa (mas só a partir das duas da manhã).

Pensando bem temos uma vida muito aborrecida em Lisboa... já não queremos voltar ;)
Television the drug of the Nation (parte 2)

Estivemos a ver televisão nos últimos dias e finalmente compreendemos que esta gente está a ficar "continental". Acabaram-se os preconceitos contra a televisão europeia, onde reina a depravação. Por aqui o lixo também chegou em força e os reality shows da Endemol são um facto.

Ver maminhas (size XL, que aqui as coisas são feitas em "big style"), a Samanta Fox com um pifo monumental ou programas de engate que apelam ao maior deboche tornou-se vulgar após as 10 da noite.

Entretanto, descobrimos o maior comediante inglês da actualidade: ALI G!
Mesmo para quem viu o filme, algo do mais boçal mas divertido, fica surpreendido com a classe do Bicho.
A nova série "Ali G Goes America" é espectacular. Imaginem um teenager atrasado mental, vestido com a classe de um rapper de suburbio, a entrevistar as maiores personalidades do mundo da politica, da ciência ou do espectáculo com perguntas perfeitamente imbecis, sem se desmanchar a rir. Ou um gay afectado alemão, muito "fashion", que se consegue infiltrar nos bastidores dos desfiles de moda e passear-se impunemente pela catwalk a fazer as figuras mais estupidas que há memória.
Alguém nos disse que este Ali G tem o curso de direito (com distinção) de uma universidade sonante.Recomenda-se.

Também vimos o Boavista-Celtic, mas aquilo lá para o fim descambou... adiante.

Descobrimos um destes dias que, altas horas de madrugada, exibem o Monkey, uma das series trash mais espectaculares que já foram produzidas no Japão.

Mas o melhor foi o documentário sobre uma revista de música para teenagers, que faz este ano 25 anos. A maior lição de POP Music que tivemos, onde todas as tendências, desde o final dos anos 70 até às boys/girls Bands deste ano. Completando com a série de documentários sobre a História do Design do Século XX, produzidos pela BBC, tivemos as maiores lições de design dos últimos anos, através da televisão.

Para finalizar, os intervalos para a publicidade são das melhores coisas que a televisão nos mostra aqui: as animações e efeitos especiais em 3D são comuns. Os anúncio da Playstation, Fanta, Ikea, e milhares de produtos de consumo rápido (detergentes, bebidas, trash food para miúdos, etc), são excelentes e apelativos ao consumo desenfreado.

quinta-feira, abril 10, 2003

Sim! Recusei um emprego de 600 contos por mês... e depois!!???

Pois é, nem tudo na vida é fácil! Tivemos uma proposta para trabalhar numa agência de design perfeita, onde nos pagavam a peso de ouro, na Ilha de Man, o único offshore em solo britânico.

Deve ter sido mesmo isso que nos fez recusar: quando nos descreveram o local, a única coisa que nos conseguiamos lembrar de semelhante era a Madeira, mas sem as temperaturas quentes.

De resto, para o mal e para o bem, tudo é igual. Uma vida "Monaco style" mas com bons casacos quentes, sapos gordos e velhos cheios de papel, com grandes bombas e gordurosas com menos 30 anos que os ditos. Restam os inconvenientes de ser mais caro que fazer turismo na Madeira. Um T0 para alugar custa 200 contos (o mínimo). No entanto apenas pagávamos 10% de impostos (aqui no continente cada desgraçado paga quase 40% do ordenado em impostos!).

Quando a esmola é muita...

Parece-nos pouco provável aguentar 1 ou 2 anos, sentirmos o mesmo que aqueles desgraçados que trabalham nas plataformas petroliferas e quando chegam a casa já nem se lembram da família.

Confortamo-nos por ficar aqui, na Charnwood Arts, onde temos bastante material de trabalho e grandes máquinas para trabalhar (ainda não está muito claro como é que uma instituição destas investe mais em material de trabalho que uma empresa, mas pronto o que lá vai lá vai...).

Só para nós temos 3 PC's, um portátil mac último modelo, o nosso portátil e ainda temos ali dois Mac, só para usar em video e em projectos multimédia!!!... e ainda podemos chafurdar à vontade pelos outros Macs e PCs que andam por aqui à solta. E o chá e o café são à borla.

De facto só falta dormirmos aqui (morar já moramos).

segunda-feira, abril 07, 2003

NEWS FROM THE OFFICE (na newsletter na Charnwood Arts!!!)

Visitors to Charnwood Arts have been astounded by the new look, tidier
environment we are busily trying to retrieve from years of archaeological
detritus. Terry as even heard to exclaim " My word there's a floor under all
this!". May this happy state of affairs long continue!

We have also been delighted by not one but two new Charnwood Arts babies -
congratulations to Jagdeep and Sarab and Chris and Addie - we've all turned to
mushy peas.

We also welcome Nela and Nuno from the wonderful Portuguese city of Lisbon and
Eduardo from Catalonia. This is Nela's third turn of duty with Charnwood Arts -
we can't keep her away - thankfully!

sexta-feira, abril 04, 2003

Mudamos de Casa e temos emprego (mais ou menos)

Pois é, já cá estamos à duas semanas e mais tarde ou mais cedo tinhamos que mudar de casa. Tentamos as imobiliárias, e percebemos que é impossível alugar alguma coisa menos de 6 meses. Um amigo nosso encontrou outro amigo dele e falou-lhe de nós.

O Andrew, esse amigo do nosso amigo, é um tipo fixe, com uma casa muito peculiar, daquelas que aparecem em capas de bandas dos anos 60. Parece que foi habitada por uma comunidade hippie há muitos anos... a colecção de vinis e de livros do Andrew tem que ser explorada, existem coisas bastante interessantes.

Existe uma cópia do Sargent Pepper, artesanato de madeira (o Andrew é carpinteiro), uma lindissima cadeira shaker (aquela seita americana tipo Amish), uma cavalo de carrocel, que está no nosso quarto, uma bateria, um saxofone alemão de 1939... o ambiente é bastante giro, e neste momento estamos a ouvir uma cópia de um disco do Tim Leary (turn on,tune in and drop out, lá dizia o tio Tim), que nos lembramos de trazer em MP3.

Começamos a fazer freelancing para a Charnwood Arts (charnwood-arts.org.uk, se não estamos enganados). Estamos a fazer um poster neste momento.

Temos concorrido a empregos e mandamos 80 cartas no outro dia, mas apenas alguns responderam ,a dizer "não há vagas para ninguém".

Segunda-Feira temos uma entrevista no centro de emprego. Segundo parece aqui as pessoas de fora, mesmo que ilegais, recebem dinheiro para não fazer nada.

Uma Noite no Supermercado

Começamos mesmo a gostar de estar no Swan. É um sítio cheio de gente bizarra.
Hoje conhecemos uma pessoa que conhecia alguém que morava na House Of the Rising Sun (quem não sabe o que é vá ver à net).

Conhecemos também o Andrew. O Andrew é um ex-hippie, carpinteiro, que mora com o filho e com o cão (não é um cão é uma cadela). A casa é bastante engraçada, com uma decoração cheia de surpresas. Alugamos um quarto ao Andrew e estamos a viver perto do Swan neste momento.

Aqui os Pubs fecham bastante cedo. fomos expulsos do Swan à meia noite (deviam fechar às 11.30). Resolvemos ir ao supermercado que está aberto 24 horas por dia (incrível!).

Estar num supermercado a uma sexta à noite é realmente estranho. Podemos dizer os maiores disparates sobre os produtos, podemos dormir encostados às prateleiras ou até ter uma conversa simpática com outros consumidores pós-meia-noite. É a trip que qualquer utilizador de LSD queria ter.

Fomos lá comprar laranjas para fazer uma sobremesa mas acabamos por sair cheios de compras.


O primeiro dia nublado

Ouvimos uma história hoje, antes de chegarmos a casa. Numa estação de comboios, a filha de um amigo nosso, que vive em Londres, Foi agredida por 3 outras raparigas que a tentaram atirar para a linha de comboio e perseguiram enquanto mudava de comboio em comboio.

Todos os dias ouvimos histórias de assassinos macabros por estas bandas.
Parece que toda a grã-bretanha está cercada de serial killers a matarem com requintes de malvadez.

começamos a apercebermo-nos disso depois de termos ouvido 2 histórias aqui de Loughborough, uma de um casal e uma de um adolescente.

24 horas depois desaparecem em espaços de horas duas adolescentes, que aparecem mortas dias depois.

Aqui perto uma adolescente grávida apareceu morta com inumeradas facadas. Em Gales um pai matou todos os filhos... a lista continuaria, e isto em apenas 2 semanas!

Perguntámos se isto era normal. Toda a gente responde escandalizada que não.

Mesmo sem relação nenhuma com os parágrafos anteriores, existe uma crise (bastante acentuada) de falta de professores. Segundo consta, embora bem pagos e com regalias bastante consideráveis, ninguém está disposto a levar com cadeiras na cabeça todo o dia.

quinta-feira, março 27, 2003

Em Portugal Não Há Disto!(24Mar)

Desde as primeiras horas em que aterramos por estas bandas temos vindo a constatar que as pessoas são muito simpáticas.

Dois exemplos:

Ontem fomos ao centro de emprego para consultar vagas. Ficamos espantados com um atendimento digno de um private banking, onde podemos aceder a base de dados com as vagas (com um interface extraordinariamente bom e simples de manusear, algo que me envergonhou como designer gráfico).
Vimos uma vaga e fomos perguntar como concorrer. 10 minutos depois tinha já falado com o empregador (um tipo qualquer que queria explorar alguém a fazer estampas para t-shirts) pelo telefone, tive ainda direito a todas as informações que nem sabia necessitar, contactos do departamento de segurança social, inserção dos meus dados numa base de dados e convite de "volte sempre, estamos cá para o ajudar". Fiquei tão espantado com a boa educação e o atendimento que a minha cara deveria dar direito a ser inserido num programa de emprego para tipos com um parafuso a menos.

Hoje resolvemos oferecer uma refeição aos nossos anfitriões. Fomos ao supermercado (uma verdadeira obra de bom gosto e eficácia). Queriamos os ingredientes para fazer panados, mas não encontravamos pão ralado. Durante alguns minutos andámos perdidos por prateleiras cheias de promoções absurdas, tipo "pague 1 e leve 2!"(no sentido literal da frase), normalmente bens essênciais a preços absurdamente baratos, mas também todo o tipo de junk food, bolos, comida para o gato,cerveja...
Andamos perdidos até perguntarmos a um repositor de produtos onde poderiamos achar o pão ralado.
Qualquer guia de museu não faria melhor: andou connosco, descontraidamente, por metade do supermercado e quando o encoutrou ainda tivemos direito a uma lição de qual o melhor para fazer o que queriamos.

O melhor é que isto não foi uma excepção, é a regra. Sempre que entramos em qualquer supermercado e pomos o dedo no ar,somos guiados pelo maravilhoso mundo dos supermercados das midlands.

the war is on (21Mar)

Pois é... acordamos hoje e soubemos que a guerra tinha começado.

Durante o dia, enquanto andavamos pelo centro da cidade vimos bastante policia com coletes à prova de bala.

Quando ontem soubemos que 3 portugueses tinham uma bomba caseira em gathwick (exclamação!), ficámos em pânico. A informação magnífica da TSF começa a ser necessária pois estamos bastante condicionados a uma dieta informativa, apenas sabemos o que pode estar directamente relacionado com o R.U.

Vimos algumas filmagens da frente e parece tudo doido, com os reporteres ingleses a falarem para a câmara com máscaras.

Desde logo nota-se uma abordagem diferente entre os ingleses e os americanos: enquanto no discurso dos soldados ingleses exíste um idealismo bastante interessante, os americanos preferem fazer poses rambo e gritar: let's hammering them down.

Por aqui é o tédio total, por enquanto. após as 3 da tarde já não há nada para fazer. Vive-se com bastante tempo (um dia apenas dá para fazer milhares de coisas e ainda ficar sentado sem fazer nada a partir das 7 da tarde!).

Vamos aproveitar para ir beber mais uma cerveja ao pub mais próximo, depois do jantar. Boa Noite


Um Pub a sério (22Mar)

Tivemos no Swan, o único pub realmente a sério nesta área. Segundo nos disseram todos os pubs eram assim antes de se tornarem uma especie de clube de cavalheiros para bebedores pós 30 anos.

O swan atrai bastante gente nova, muitos artistas. Apanha-se uma poderosa bebedeira de Ale com pouco dinheiro e é comum pagar rodadas. Este é o sítio onde se notam ainda os clichés que nós "os continentais" temos sobre pubs ingleses: sítios com decoração simples, gente caricata, excelente música (podemos escolher entre os Smiths, O Best off dos stones...), conversas entre o interessante e o passageiro.

Por volta das onze tocam os sinos e ... acabou! As pessoas têm um ar extremamente cansado a essa hora (parece mesmo que chegaram de uma rave de 48 horas). Nós preferiamos acabar mais tarde, mas esta gente é mais civilizada que nós.

Ouvimos a história de uma pessoa que leu um aviso de ataque suicida a uma central nuclear israelita (num site iraquiano). Durante algumas horas estava disponível uma tradução inglesa, destinada a avisar todos os países arabes das redondezas. Veremos nos próximos dias.

Aproveitámos para rever amigos. Entretanto soubemos as novidades do duo Pig & Mouse


television the drug of the nation (23Mar)

temos visto muita tv. A nossa preferência vai para o channel4, onde podemos ver o South Park, Futurama e os simpsons e alguns dos anúncios mais interessantes (os da playstation 2 são brutais).

Descobrimos os verdadeiros desportos radicais no Jackass: pessoal vestido apenas com roupa interior a andar com patins em linha por Londres,a mergulhar em contentores cheios de peixe e em esgotos e outras coisas óptimas para ir ao vómito em 30 segundos.

Ontem assistimos num pub ao jogo Inglaterra-Escócia (isto é Rugby claro, ganharam os ingleses). Tentamos não mostrar a ninguém que estavamos a torcer pela Escócia, mas tb não há nenhum problema com as claques: não queriamos acreditar no grau de civilização que esta gente tem a assistir a um jogo.

Explicaram-nos depois que aqui os jogos de futebol são jogados por cavalheiros mas assistidos por atrasados mentais, mas os jogos de rugby são jogados por atrasados mentais mas assistidos por cavalheiros.

Tivemos oportunidade de provar verdadeira comida escocesa (que não deve ter muitos adeptos por aqui), de graça! Pelo que vimos é comum ir a um pub e acontecerem estas coisas em ocasiões especiais. Aliás os preços são muito mais convidativos que em Lisboa, se tivermos em consideração os factores qualidade-preço, o atendimento simpático, o ambiente familiar e a qualidade do que se bebe por aqui.

Acabamos o dia em beleza: fizemos um quiz muito engraçado, através da tv, algo que tem uma audiência esmagadora por aqui. Ontem era sobre o amor e os relacionamentos entre casais e a Nela ganhou.



Last Call!(19Mar)

Depois de descobrirmos que nos tinhamos atrasado para o voo (começaram a dizer os nossos nomes por todo o aeroporto), depois da avarenta hot meal (a única coisa quente era o avião, chegamos a Londres com alguns minutos de atraso (our fault...sorry!)

Tirando a inexistência de caixotes do lixo não se sente o clima de insegurança devido à guerra.

Rumamos para as Midlands, num autocarro com melhores condições que um avião (parece que por aqui é normal), e que não se atrasou nem um minuto mais do que estava previsto!

Começamos desde logo a entender que ninguém antes dos 30 anos sabe o que beber água (ouvem-se constantemente barulhos de garrafas de refrigerantes a abrir). Provavelmente porque a água engarrafada que têm sabe àquela que se pode obter nos canos mais ferrugentos, e mesmo assim consegue ser pior.

Alguns factos que começamos a observar:

Esta gente bebe imensa cerveja, só têm uma refeição decente após as 5 da tarde, as ruas são limpas e está tudo organizado, os supermercados não parecem supermercados e têm um enorme corredor só para aperitivos e até o Macdonalds não parece um Macdonalds (está situado numa imponente casa medieval).

Por aqui podemos alugar uma casa com 4 quartos gigantescos por cerca de 150 contos que faz corar de vergonha qualquer senhorio em Lisboa (vimos uma mansão apalaçada por cerca de 300 e tal contos!).

Tivemos oportunidade de entender que as coisas estão mais caras. Tomamos o nosso primeiro "espresso" em solo inglês no Franco's, um café italiano em Loughborough (uma vergonha: 1 libra por um café, antes era 60p), um maço da nossa marca favorita de tabaco custa 1300 escudos,algo que eles nem se dão ao luxo de comprar (aqui ninguém fuma!).

This page is powered by Blogger. Isn't yours?